23 maio

Senhor de 70 anos utiliza Ubuntu

Olá amigos, esta noite vou postar um depoimento enviado pelo Sr. Oriovaldo, ele tem 70 anos de idade, é usuário comum e utiliza Ubuntu para suas tarefas diárias, como falar com os netos, pesquisar coisas na internet e tudo mais que qualquer um faz.

Em seu depoimento ele fala do Unity, e como ele vê a novidade mais criticada/amada da atualidade no universo Linux.

#Depoimento do Sr. Oriovaldo

O Ubuntu mudou muito. Parece que ele teve sua filosofia de trabalho alterada. Bem, devo primeiramente apresentar-me : sou da “velha guarda” pois já vivi 70 anos, mas gosto de computador, embora meu entendimento sobre eles seja quase nulo. É fácil agendar e ser lembrado de consultas médicas ( avisos pregados na geladeira ficam muito feios), controlar conta corrente pelo internet banking, Imposto de Renda, estabelecer controles sobre uma pequena empresa, comunicar-me por e-mail com os filhos e amigos, seguir gente interessante pelo Twiter, ler jornais, ouvir rádios e música e por aí vai. Acho que sou o que os entendidos chamam de usuário normal.

Conheci o Ubuntu em 2006, mas foi apenas casualidade. Penso hoje, que saberia usar outras distribuições, e já testei o Gnome 3. Gente antiga é conservadora, então, acostumei-me ao Ubuntu. Mas agora ele mudou. Caramba, mudou muito. Como meu conhecimento de informática é diminuto, tentei acostumar-me, lia os “blogs” de quem entende, usei o Virtualbox para habituar-me, e surpreendentemente, fazia as mesmas coisas de antes num sistema operacional bonito, muito colorido, robusto e confiável. Desconfio que minha produtividade aumentou.

Gostei muito do Unity, com aquela barra lateral. Aprendi a usar o teclado pressionando F10, uso “Super+S”, busco meus programas com “Alt+F1”, e acho legal o “empilhamento” da barra lateral. Sem falar nos icones que tremem chamando minha atenção quando necessário. Todavia, não deserdei o mouse. Ele está ali, e volta e meia uso-o como sempre fiz. Também uso a tecla “Super” mais um número ou letra, mas coloquei muitos programas, quase todos que utilizo.

As vezes ocorrem fatos estranhos que os jovens chamam de “bugs”, todavia, são poucos, e, sinceramente, irrelevantes. Mas sei que os desenvolvedores e os membros da comunidade estão se esforçando para corrigir.

Ainda não consegui que o Empathy receba e transmita imagens para algumas pessoas que não deixam de usar o Messenger por nada deste mundo. A solução momentânea está no Skype para Linux(ruinzinho, por sinal), assim posso ver e falar com minha mãe de 91 anos que mora no interior de São Paulo. Mas não desisto e leio com avidez todas as informações sobre o assunto.

Agora, a Central de Softwares está aos poucos tomando o lugar do Synaptic, e tem até um “test-drive” antes da instalação. Isso é bom ou ruim? Confesso que ainda não tenho convicção. Mas instalar programas no Ubuntu é muito fácil. Repositórios PPA, nem se fale. O nível de dificuldade é superado com leituras na própria internet onde há muitas pessoas com boa vontade e paciência para espalhar conhecimentos. Aprendi com esses meninos a usar o terminal.

Enfim, o Ubuntu mudou, e ao mesmo tempo, melhorou muito.

#Nota do Editor

Bem gente, pelo menos para mim, é raro encontrar uma pessoa de 70 anos na posição de usuário comum utilizando Linux e o amando como o Sr. Oriovaldo ama, postei o depoimento dele apenas para que todos vejam como foi a adequação dele ao Unity, e como ele é de simples utilização para qualquer um, depois que deixamos os “pré-conceitos” de lado e lhe concedemos uma chance.

Agradeço ao Sr. Oriovaldo pelo depoimento e lhe desejo muito sucesso em sua vida como usuário Ubuntu.

Cristóferson Vila Nova Fontes

Graduando em Tecnologia em Informática com ênfase em Bancos de Dados, Servidor Público, Blogueiro, Militante do Software Livre, Usuário Ubuntu, Leitor de Mangás, Marido de Elis Regina e Pai dedicado de Sophia. Sigam-me no Twitter manolos!
  • Nicholas Lima

    Muito bom o depoimento… 

    Realmente, concordo com o Tittão, quando ele diz que todos já vem armados contra o Unity. Se alguém usou e não gostou, tudo bem… Mas tirem suas próprias conclusões, pensem por suas cabeças… Não se deixem levar por comentários de grandes integrantes da comunidade ou de amigos.

    Em nenhum momento, tive preconceitos com o Unity… Por isso ao testa-lo no Vbox não estava com nenhum critica preparada. Quero ver, quando eu arranjar tempo e disposição para fazer a atualização para o 11.04 e com o uso diário, se vou continuar gostando do Unity… mas como uso MAC no trampo, fica bem tranquilo essa migração.

    Meu parecer é que em breve estarei usando e curtindo muito o Unity.

    Valeu Cristoferson, por divulgar um depoimento tão belo com a comunidade.
    PS: Cristoferson é o apelido do Tittão 😀

  • Olá. Sou professora de informática e gostaria muito de transmitir esse depoimento para meus alunos. Gostaria da autorização para isso.

    • Nicholas Lima

      Olá, que bom que os conteúdos do blog estão inspirando outras pessoas a divulgar o software livre.

      Adorariamos que você usasse nosso conteúdo para mostrar para seus alunos a maravilha que é usar Linux.

      Gostaria também que entrasse em contato conosco para nos dizer o que eles acharam do depoimento.

      Fique de olho no blog e no nosso perfil do twitter!
      E boa aula!

      PS: O autor do artigo disse: Conteudo é livre como os softwares que uso!

      Nicholas LimaCriador e Administrador do Cotidiano Linux

  • ByTDutra

    Olá, Gostaria de dizer a todos que meus pais minha mãe com 68 e meu pai com 70 também utilizam um PC e um Laptop com GNU-Linux Ubuntu, já fazem dois anos, e se adpataram numa boa.
    Claro as vezem minha filha de 12 anos, ajuda em algo mais complicado pra eles. (vale lembra que minha filha usa AntiX, Fedora, Ubuntu e Qualquer outro sistema operacional de código fechado. 
    Tarso Dutra

  • Renan Souza

    Todos de Pé para aplaudir o Sr. Oriovaldo 😀

  • Daniel de Oliveira

    Aplausos. /o 😀

  • Eu estou entre dois mundos. Minha filha começou a usar o Ubuntu Linux com 14. Uma época que as amiguinhas ficavam fazendo caras e bocas com o Windows. Minha filha se apaixonou e ela não gosta é do Windows. Talvez minha influência tenha sido relevante por já usar Linux desde sempre, digo isso porque já nos primeiros rumores eu já fui procurando material sobre Linux. Não foi nada fácil. Daí para frente foi ficando cada vez mais simples usá-lo e de certa forma me acomodei, pois hoje em dia é tão fácil que pessoas que como eu adoravam ficar muito mais tempo na linha de comando, passam a usar bem mais o mouse.
    Porém gosto de brincar com código fontes e para isso ainda uso o vim.tiny.
    Bom, minha filha passou a usar o Ubuntu sem eu falar nada. Ela simplesmente disse para eu instalar no computador dela. Aí, minha esposa, cunhadas, sobrinhos, um monte de gente passou a usar, tanto em casa como na casa deles. Alguns ainda usam em dual boot com o Windows por causa de um aplicativo que insiste e ter somente para Windows e ainda não encontraram de igual usabilidade. Mas, venho percebendo que são poucos estes aplicativos.  Os tempos estão mudando e estão mudando para melhor.
    Eu tenho 45 anos e sei que vou usar link até no final do meu tempo. Até onde eu consegui teclar, comando por voz, comando pelo movimento dos olhos, cabeça, cotovelos, sei lá. Só sei que não vou largar. 

    Uma coisa eu aprendi e minha filha também.
    Ignore os ignorantes e seja feliz com que gosta de fazer. E uma das coisas que eu e minha filha, que hoje tem 17 anos, gostamos muito de fazer e conhecer mais e mais, é o mundo maravilhoso do Linux.

    Bem vindos todos a este mundo que está só começando…

    • Nicholas Lima

      Prezado Antonio, sua história é realmente impressionante. Fico feliz em saber que sua filha é uma usuária fiel do nosso querido Pinguim…

      Continue dando o exemplo e convertendo seus amigos e familiares… Ah, e continuem de olho no blog que em breve teremos algumas novidades.

      Abraços,
      Nick Lima – Criador do Cotidiano Linux

  • Parabéns fiquei contente

    • Nicholas Lima

      Que bom que gostou. 
      Espero que continue acompanhando nossos artigos.

      Abraços

  • gio

    Muito bacana, apesar de não ter gostado nem um pouco do Unity respeito totalmente a opinião dele e de quem gostou dessa nova cara do Ubuntu.
    Particularmente o Ubuntu perdeu o que eu buscava em uma distribuição, mas por sorte encontrei o Arch e estou muito feliz com ele a quase 2 anos.
    A distribuição ou interface é trivial. O importante é o que se aprende, se busca e encontra no mundo livre, mundo que não se cansa de ser surpreendente e que não pára de me encher os olhos.

    • Nicholas Lima

      Concordo com você quando diz que a distro é o que menos importa, tem muita gente que acha que UBUNTU é LINUX e fica com a mente fechada para outras distribuições…

      Mas também tem muita gente que também faz o contrário e reclama do Ubuntu + Unity enquanto poderia apenas remover e usar o Gnome por exemplo, não concorda? Afinal Linux é liberdade…

      Se um dia a Canonical nos tirar a possibilidade de sair do Unity, este será o dia em que ela vai andar para trás e (se eu ainda usar o ubuntu) será também o dia que deixarei de usar o Ubuntu 😀

      Obrigado por deixar seu comentário e fique de olho nas nossas novidades…

  • anderson

    Vergonha de quem ainda acha que Linux é coisa do outro mundo! Olha ai o Sr. Oriovaldo tirando o Ubuntu de letra; usando até o terminal! Viva a liberdade! Viva o Linux! = ]

    • Nicholas Lima

      Pois é… A galera tem muito preconceito e muitos ainda pensam que o Linux é um bicho de sete cabeças… Essas pessoas tem que dar uma chance para o Linux e começar a ver o sistema com outros olhos.

      Depois que você usa, se apaixona.
      Viva o Linux, Viva a Liberdade!!